Salvador Allende um agente da KGB

Compartilhe:

Publicado na revista polonesa Wprost.

Os contatos de Salvador Allende com o oficial de inteligência soviético Svyatoslav Fiedorovich Kuznetsov (também conhecido pelo codinome LEONID) datam do final da década de 50. Contato que evolui para uma cooperação permanente já no ano de 1961, quando a missão comercial soviética começa a operar no Chile, local onde uma base da KGB, o serviço secreto soviético, havia se instalado.

É o que contam  os arquivos do desertor soviético Vasili Mitrochin, Allende manifesta seu desejo de cooperar secretamente e oferecer toda a ajuda necessária, pois se considera um amigo da União Soviética. Ele, voluntariamente, compartilha informações políticas.

Antes das eleições de 1970, Allende era o candidato da coalizão de radicais de esquerda Unidad Popular-UP. Como os adversários da esquerda (democratas-cristãos e nacionalistas) estavam divididos, havia uma chance para Allende, o colaborador secreto da KGB de codinome de LIDER, vencer a eleição. Moscou então envia Kuznetsov à capital do Chile, com a responsabilidade de coordenar operações secretas da KGB em apoio a Allende.

No total, mais de $500.000,00 foram destinados para apoiar a esquerda no país. O próprio Allende recebeu grandes somas a fim de “fortalecer laços” com o regime. O apoio financeiro de Moscou desempenhou um papel muito importante nas eleições de 1970 – graças a esse apoio, por exemplo, possíveis candidaturas da esquerda de Allende foram banidas para não dividirem os votos da candidatura LIDER. A KGB também apoiou estrategicamente o seu marionete com informações políticas importantes sobre as atividades da CIA, a situação dos serviços de inteligência chilenos e do exército.

Salvador Allende, Manuel Piñeiro Losada e Fidel Castro.

Em 4 de setembro de 1970, Allende venceu a eleição presidencial com 36% dos votos. Moscou então embarcou em uma ofensiva. Eles sabiam que a chave para criar uma regime comunista era assumir o controle do exército e da polícia. Segundo a pasta dos arquivos da KGB dedicada a LIDER, Allende foi solicitado a reorganizar o exército e os serviços de inteligência chilenos e estabelecer relações entre o Chile e a inteligência da URSS. Allende respondeu positivamente.

As relações mais próximas com os soviéticos também foram mantidas com membros da família do presidente: a esposa Hortensia e a filha Beatriz. Esta última tornou-se esposa de um dos oficiais de inteligência cubana que cercava o presidente. No exílio, a filha e a esposa de Allende se hospedaram no resort soviético de Barvikha, próximo a Moscou, e também abordavam as rezidenturas da KGB “com vários caprichos”.

Compartilhe:

2 thoughts on “Salvador Allende um agente da KGB

  1. No Brasil a URSS também atuaram fortemente nas forças armadas. Espero que sejam achados documentos revelando essa conspiração!

  2. Realmente uma pena que os EUA tenham financiando o golpe que tirou as chances de Allende de transformar o Chile num pais alinhado ao bloco Soviético, mas eu tenho esperanças que no futuro ainda irão ter vários países sul americanos que irão se alinhar à China, a única superpotência socialista atual, e que a esquerda mundial voltará ao poder, eventualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *